Arquivo da tag: Reportagem

Jogos asiáticos 2014

Matéria do New York Times sobre os Jogos asiáticos de 2014

In terms of content, the Asian Games that open Friday in Incheon, South Korea, will be bigger than a Summer Olympics.

The 2012 London Olympics had 302 events in 26 sports. In Incheon, athletes will compete in 439 events in 36 sports and disciplines, and the additional content is part of what makes the Asian Games truly Asian.

The non-Olympic sports on display in South Korea include not only cricket and the popular martial art of karate, but also two sports that have yet to make any appreciable dent in the Western consciousness: kabaddi and sepaktakraw.

Informações sobre as competições

Problemas entre as Coreias do Norte e do Sul

Anúncios

Leituras

Expansão territorial chinesa e a construção de ilhas artificiais, reportagem da BBC

O governo do país começou a construir ilhas artificiais no oceano para poder plantar o seu poder por ali. E, diante do poderio militar naval dos chineses, isso poderia representar inclusive uma ameaça ao domínio militar americano no Pacífico.

A China está começando a se utilizar de seu notável poder naval. A velocidade da mudança é enorme. Pequim constrói navios de guerra e submarinos mais rápido do que qualquer outro país, incluindo os Estados Unidos. O segundo porta-aviões do país está praticamente pronto.

Dislexia na China

Take the character for “special” (特) and the one for “grasp” (持), for example, which are the same apart from a small extra stroke on the left hand side of the former and a tiny upward tick at the bottom of the long vertical stroke of the latter. Those (to a foreign eye) tiny differences give them distinct meanings. They are also pronounced quite differently: the first “te” (falling tone), the other “chi” (rising tone).

Turismo pela cidade de Mao Zedong

A cada ano, sete milhões de pessoas, 20.000 por dia, visitam a fazenda que viu nascer Mao Zedong, o criador da República Popular da China e o museu em torno de sua figura. O número explode em 26 de dezembro, data de nascimento do líder e que Shaoshan comemora com fogos de artifício em uma espécie de natal vermelho.

Espião-sul coreano

Guia básico da comida coreana

Coreanos comem muito e comem com gosto. Adoram os sabores fortes de alho e óleo de gergelim. São os mestres asiáticos no uso da carne de boi, um ponto de encontro feliz com brasileiros e argentinos. A Coreia tem a marca das cozinhas do hemisfério norte: cada estação tem seu sabor próprio.

Explicação da The Economist sobre o sobrenome Kim na Coréia

Korea’s long feudal tradition offers part of the answer. As in many other parts of the world, surnames were a rarity until the late Joseon dynasty (1392-1910).

As family names such as Lee and Kim were among those used by royalty in ancient Korea, they were preferred by provincial elites and, later, commoners when plumping for a last name. This small pool of names originated from China, adopted by the Korean court and its nobility in the 7th century in emulation of noble-sounding Chinese surnames.

Entrevista de emprego na Coreia do Sul

Momoe Yamaguchi e a música japonesa nos anos 70

Conversa entre Inio Asano e Usamaru Furuya

Indústrias chinesas

Lendo a lista da Forbes dos bilionários brasileiros achei um nome interessante da lista Liu Ming Chung, CEO da Nine Dragons Paper. Na Época Negócios tem uma reportagem de 2010 sobre a carreira do empresário

Poucas pessoas podem apontar para um acontecimento singular e dizer que esse fato mudou suas vidas. Para Liu Ming Chung, esse momento foi o dia em que conheceu, numa visita a Hong Kong, no final de 1988, aquela que viria a ser sua esposa. Liu estava na cidade para vender aço brasileiro a estatais chinesas. Havia abandonado a odontologia – profissão que exerceu por alguns anos em São Paulo – em busca de oportunidades no comércio internacional.

Mais um artigo sobre as dificuldades da política industrial chinesa

O governo está apertando as regras para controlar suas operações, reduzindo drasticamente os salários da alta administração, aumentando o grau de transparência de suas contas, determinando que as estatais abram o capital de modo a levá-las a adotar práticas de mercado. O resultado, no entanto, é lento.

Leituras

A China já igualou o total gasto pelos 28 países da UE em investimentos em pesquisa e desenvolvimento, com 1,98% do PIB, segundo os últimos dados da OCDE, correspondentes a 2012
Si no sabes quién es Schodt, podemos decir, resumiendo mucho, que es “el” gran pionero del manga en Occidente. Fue uno de los primeros occidentales que se interesó por el manga japonés, en los años 70, y que trabajó para que el manga pudiera llegar a Occidente, sobre todo gracias a su libro Manga! Manga! The World of Japanese Comics. Este libro, escrito en 1983 y aún disponible en las librerías (en inglés), ha sido y sigue siendo uno de los textos de cabecera de los interesados en la historia y la dimensión del manga en Japón: incluso hoy en día, más de 30 años después de su publicación, sigue siendo fascinante y, para mí, resta insuperado

História de Manga(漫画)

Interessante esse perfil do The New York Times sobre o pitcher do New York Yankees, Masahiro Tanaka

Tanaka comes from Itami, near Osaka, in western Japan. But he chose to play baseball at a high school in the nation’s far north, 900 miles away. The field froze during the winter months, and suffering the numbing cold was among the ordeals meant to build an athlete’s stalwart character. The boys stamped on the persisting snow, attempting to level the slippery surface for a truer roll of ground balls.
 
Sobre o Koshien
 
Every young ballplayer shared a dream, to compete in the national high school tournament, known to most as the Koshien, an event in Japan as compelling as March Madness, as consequential as the World Series. Each August, 49 regional champions vie in the single-elimination tourney. Each game is nationally televised. The best players are plucked from obscurity and elevated to celebrity, as famous as any movie star.
 
Descrição do principal rival nos tempos de colegial, Yuki Saito
 
With the temperature on the field sometimes climbing above 100 degrees, Saito had the habit of pulling a folded blue hankie from his pocket to pat the sweat off his face. He was affectionately nicknamed the Handkerchief Prince.

 

 

 

Outros tempos

Recomendo esses textos do James Palmer sobre a sociedade chinesa: http://aeon.co/magazine/author/james-palmer/

Zhang Jun, a 26-year-old PhD student, described the situation: ‘It’s not just a generation gap. It’s a values gap, a wealth gap, an education gap, a relationships gap, an information gap.’ Lin Meilian, 30, and a journalist, bluntly stated: ‘I have nothing in common with my mother. We can’t talk about anything. She doesn’t understand how I choose to live my life.’

[Revista] Scientifc American Brasil – Janeiro 2014

Galileo além de ser o pai da ciência moderna, também é o nome de um dos livros do escritor de suspense Keigo Higashino; adaptado para uma série de televisão traz, o ídolo das senhoras japonesas, Masaharu Fukuyama, que interpreta o físico Manabu Yukawa e com o auxílio da ciência resolve crimes complicados. Talvez a ficção seja mais interesante que a realidade, assim como propor e resolver equações complexas para tentar explicar o funcionamento da natureza não seja uma das tarefas mais emocionantes para a maioria das pessoas.
Já o Yukawa da realidade, é o laureado do prêmio nobel de 1949 o físico teórico Hideki Yukawa(1907-1981), que além das suas pesquisas com méson foi um dos intelectuais a assinar o Manifesto de Russel-Einstein.
E uma das histórias mais interessantes da ciência nacional decorre da quase vinda de um laureado do prêmio Nobel, por causa de seus conterrâneos que não acreditavam na derrota nipônica na segunda guerra mundial como relatado no livro Corações Sujos de Fernando Morais.
A revista scientific american de janeiro de 2014 trouxe uma matéria excelente sobre a vinda de físicos teóricos para o Brasil diante de uma doação da colônia japonesa no Brasil.Separei uns trechos da matéria para os interessados no caso:
“Yukawa foi convidado para vir a um encontro internacional, o Simpósio sobre novas Técnicas de pesquisa em física, que ocorreu entre 15 e 29 de julho de 1952, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Como celebridade do momento no Japão – quase uma figura mítica depois do prêmio – ele se aproximava da condição imposta pelos kachigumi para discutir a questão do conflito: a vinda de um representante pessoal do imperador para dizer o que havia acontecido com o Japão na guerra. Os jornais japoneses noticiaram o prêmio, ressaltando as condições miseráveis da física no país naquele momento de reconstrução nacional”
“Os makegumi esclarecidos acreditavam que Yukawa, por ser um cientista, não se furtaria a dizer a verdade sobre o final do conlifto. Mas o físico não poôde vir ao Brasil. Alega-se desde a carga pesada de compromissos, a responsabilidade de reconstruir a física de seu país e até problemas de saúde na família”
Makegumi = “derrotistas” ou os corações sujos” que sabiam da derrota japonesa na segunda guerra mundial
Kachigumi = “vitoriosos” que alegavam a vitória japonesa
Referência:
“O apoio brasileiro que viabilizou a física de partículas no Japão” , Cassio Leite Vieira. Scientific American Brasil – Janeiro 2014 p.58-63