Arquivo da tag: Música

Leituras

[China]

Banco Asiático

Cristianismo

Declínio na produção de aço

Protestos em Hong Kong e a internet

Mark Zuckerberg e o mandarim

The main problem with Zuckerberg’s Chinese (and later on I’ll explain why I dare even say this) is how itsounded — namely, as if he had never heard of the all-important Chinese concept of tones. English speakers know how tones can affect meaning. “You’re going where?” with a rising-question tone at the end is a request for information. “You’re going where?” with a high-astonished-angry tone at the end is something else.

But tones in English mainly affect the shape and meaning of an entire sentence. In Chinese they signal the meaning of every single word. It’s hard for English-speakers to grasp how confusing it must be for Chinese speakers to hear their language rendered without attention to tones, which is essentially what Zuckerberg did, because it’s like explaining differences in hue to a color-blind person

Coursera

China has a friend in Richard Levin, the former president of Yale University who now heads up online education giant Coursera.

“China is our fastest growing market, and our team is building initiatives and travels there all the time,” Levin said. “Many of the Chinese users are over college age and take the online courses either for personal fulfillment or to improve their job skills.”

Mar da China Meridional e seu potencial energético

There is another reason for China’s interest in the South China Sea: the large quantities of oil and natural gas that might lie below these waters. In May, Beijing made its interest in those resources clear when it sent a drilling rigcalled Haiyang Shiyou 981 into waters claimed by Vietnam. The rig is owned by China National Offshore Oil Corporation, or Cnooc, the country’s biggest offshore energy producer.

Visitas do presidente Xi Jinping

 

[Japão]

Robótica

Japan leads the world in research and development of humanoid robots capable of walking on two legs. One key factor that seems to have spurred its advances is the influence of anime, according to Shimizu Masaharu, research director at theFuture Robotics Technology Center (fuRo) of the Chiba Institute of Technology. “Quite a few of the researchers involved in developing robots were fans of Astro Boy and Doraemon as kids. In my own case, as someone who earned a PhD in the system architecture of humanoid robots, I was quite influenced by being a member of what might be called the ‘Gundam generation.’”

Lembranças históricas

the government of Gunma Prefecture, north of Tokyo, decided to remove a decade-old monument to Korean forced laborers from a public park after angry phone calls and protests. A similar campaign led the city of Nagasaki, long a bastion of antiwar sentiment, to delay approval of a cenotaph to Korean laborers who perished in the 1945 atomic bombing. The monument was supposed to be unveiled in April.

Expansão militar

Japan’s response to Chinese anti-access/area-denial threats rest on three planks: increasingly large helicopter carriers, next-generation 3,300-ton Soryu-class submarines and new Aegis destroyers.

Nacionalização

Bashô e Mishima

Takeshi Kitano e a animação japonesa

“I hate anime, and Hayao Miyazaki most of all, but his animations make money, so I have respect for that,” Kitano said of the acclaimed director of a string of box-office toppers, including last year’s historical epic “The Wind Rises.”

[Coreia]

Seo Taiji e Sogyeokdong

It is important to remember that, until late 1980s-early 1990s, South Korea was under authoritarian dictatorship. To be sure, the situation was better than North Korea’s–but not by that much. In December 1979, General Chun Doo-hwan rolled tanks into Seoul, threatened the then-president Choi Gyu-ha at gunpoint, and later appointed himself to be the president. When the citizens of Gwangju protested the coup d’etat,Chun sent paratroopers to the city and murdered more than 600 people.
During Chun’s dictatorship, the democratically elected National Assembly was no more than a shill. The true, shadow government was located in Sogyeokdong, under the name of the Defense Security Command. Growing up in the neighborhood, Seo Taiji likely could not help but notice the swirl of chaos surrounding the area.

Samsung x Xiaomi

Leituras

Expansão territorial chinesa e a construção de ilhas artificiais, reportagem da BBC

O governo do país começou a construir ilhas artificiais no oceano para poder plantar o seu poder por ali. E, diante do poderio militar naval dos chineses, isso poderia representar inclusive uma ameaça ao domínio militar americano no Pacífico.

A China está começando a se utilizar de seu notável poder naval. A velocidade da mudança é enorme. Pequim constrói navios de guerra e submarinos mais rápido do que qualquer outro país, incluindo os Estados Unidos. O segundo porta-aviões do país está praticamente pronto.

Dislexia na China

Take the character for “special” (特) and the one for “grasp” (持), for example, which are the same apart from a small extra stroke on the left hand side of the former and a tiny upward tick at the bottom of the long vertical stroke of the latter. Those (to a foreign eye) tiny differences give them distinct meanings. They are also pronounced quite differently: the first “te” (falling tone), the other “chi” (rising tone).

Turismo pela cidade de Mao Zedong

A cada ano, sete milhões de pessoas, 20.000 por dia, visitam a fazenda que viu nascer Mao Zedong, o criador da República Popular da China e o museu em torno de sua figura. O número explode em 26 de dezembro, data de nascimento do líder e que Shaoshan comemora com fogos de artifício em uma espécie de natal vermelho.

Espião-sul coreano

Guia básico da comida coreana

Coreanos comem muito e comem com gosto. Adoram os sabores fortes de alho e óleo de gergelim. São os mestres asiáticos no uso da carne de boi, um ponto de encontro feliz com brasileiros e argentinos. A Coreia tem a marca das cozinhas do hemisfério norte: cada estação tem seu sabor próprio.

Explicação da The Economist sobre o sobrenome Kim na Coréia

Korea’s long feudal tradition offers part of the answer. As in many other parts of the world, surnames were a rarity until the late Joseon dynasty (1392-1910).

As family names such as Lee and Kim were among those used by royalty in ancient Korea, they were preferred by provincial elites and, later, commoners when plumping for a last name. This small pool of names originated from China, adopted by the Korean court and its nobility in the 7th century in emulation of noble-sounding Chinese surnames.

Entrevista de emprego na Coreia do Sul

Momoe Yamaguchi e a música japonesa nos anos 70

Conversa entre Inio Asano e Usamaru Furuya

Leituras

Vargas Llosa e o qi gong ?

Aos interessados em música japonesa as reportagens do Ryotaro Aoki

As mudanças da política chinesa

Desenterrando esse texto, sobre a produção de tomates no interior da China

Aprender japonês jogando videogame, do Tofugu

Alguns pontos sobre o problema do empreendedorismo no Japão

Indonésia pós Suharto

Conflitos entre médicos e pacientes na China

Violence against doctors in China has become a familiar occurrence. In September, 2011, a calligrapher in Beijing, dissatisfied with his throat-cancer treatment, stabbed a doctor seventeen times. In May, 2012, a woman attacked a young nurse in Nanjing with a knife because of complications from an operation performed sixteen years earlier. In a two-week period this February, angry patients paralyzed a nurse in Nanjing, cut the throat of a doctor in Hebei, and beat a Heilongjiang doctor to death with a lead pipe.

Aos interessados em educação sul-coreana

Introdução à música pop japonesa

Marty Friedman ex-membro da banda Megadeath e conhecido por ser um experiente e talentoso guitarrista  tem uma carreira pós-banda pouco ortodoxa, após deixar a banda ele foi se aventurar pelo Japão onde aparece eventualmente de programas de variedades, trabalhou com nomes da música japonesa como Momoiro Clover Z(ももいろクローバーZ) e Takamiy, tem gravados dois álbuns instrumentais com sucessos locais como Yeah meccha Holiday(Yeah! めっちゃホリディ), Butterfly e Toire no kamisama((トイレの神様). Essa história de paixão por terras nipônicas reflete-se também por seu gosto musical, sendo ele um dos grandes entusiastas da música pop japonesa, como pode ser visto na entrevista ao site Wondering sound.

Reunindo algumas anotações e pesquisas o texto abordará alguns pontos sobre a bilionária indústria musical japonesa, que de acordo com o IFPI corresponde ao segundo maior mercado de música, tem a predominância de artistas locais e mesmo com a ascensão de serviços de música online e downloads tem uma venda significativa de música em formato físico. O foco principal será na música pop, que corresponde pela maior parte das vendas e que conta com características diferentes se comparadas com o resto do mundo.

A música pop japonesa atual é uma evolução do gênero conhecido como kayokyoku(canção popular), o termo “J-pop” foi usado pela primeira vez na rádio FM J-Wave, em 1988, e é usado para referir-se à produção de música pop japonesa dos anos 90 até os dias de hoje. A denominação corresponde mais a uma divisão de mercado do que a características musicais em comum, refletindo mais a forma como a população jovem consume música.

Como trata-se de uma breve introdução ao tema, separei por partes para melhor compreensão.

Influência Ocidental

“A música japonesa pop é o resultado da mistura de temas japoneses e da forma japonesa de cantar ritmos negros cifrada de forma européia” ou, “mistura da escala pentatônica com arranjos ocidentais, baseados principalmente em gêneros da música negra norte-americana, mas também com influência da chanson francesa, da canzone italiana e de ritmos populares latino-americanos” Yoshiaki Sato traduzido pelo pesquisador Mauro Neves

Outra citação interessante é de Cristiane A. Sato no livro Japop – o poder da cultura pop japonesa: “Em termos de estilos musicais, desde os anos 80 o J-Pop aumentou o leque de ritmos ofertados ao público consumidor de música. Embora sejam considerados estilos ocidentais, no Japão esses ritmos sofrem curiosas alterações para melhor adequar-se ao gosto local. O rap e o funk nipônicos carecem da crítica social nas letras do gênero no ocidente, e seus intérpretes, embora vestidos no mais característico estilo das ruas de Los Angeles e Nova York, têm uma atitude estranhamente mais leve- até sorridente- comparada com seus similares no ocidente. Músicas disco, dance, trance e eurobeat japonesas normalmente têm um ritmo mais marcado e acelerado, e cantoras de rythym&blues cantam com voz mais aguda, levemente desafinada e um tom acima do que seria cantado no ocidente”

Karaokê

Bastante difundido no ocidente, funciona como uma importante forma de socialização na sociedade japonesa para um momento de diversão descompromissada sem os deveres e obrigações do cotidiano. Corresponde também a uma parte essencial da indústria musical japonesa em obter lucros pelo licenciamento de músicas e muitas canções são feitas para serem facilmente cantadas por qualquer pessoa.

No ranking da Joysound (empresa de karaokês) nas dez primeiras posições de 2013 temos:

Posição Artista Música
1 Golden Bomber Memeshikute(女々しくて)
2 Yoko Takahashi Zankoku no Tenshi no Tēze(残酷な天使のテーゼ)
3 Whiteflame feat. Hatsune Miku Senbonzakura(千本桜)
4 MONGOL800 Chiisa na Koi no Uta(小さな恋のうた)
5 Yo Hitoto Hanamizuki(ハナミズキ)
6 Linked Horizon Guren no Yumiya(紅蓮の弓矢)
7 Yuzu Eikō no Kakehashi(栄光の架橋)
8 GReeeeN Kiseki(キセキ)
9 AKB48 Heavy Rotation(ヘビーローテーション)
10 Bump of Chicken Tentai Kansoku(天体観測)

O ranking apresenta músicas ligadas à temas de videogames e animações no caso de Zankoku no tenshi no teze(abertura do anime Neon Genesis Evangelion), Guren no Yumiya(abertura do anime Ataque de Titãs), Senbonzakura(ligado à personagem Hatsune Miku); temas ligados à televisão como propagandas, filmes e programas de variedade como Eiko no Kakehashi(tema da NHK nos jogos olímpicos de Atenas), Hanamizuki(ligado ao filme homônimo), Chiisa na Koi no uta(ligada ao canal Space shower TV e ao doce Pocky),Kiseki(tema de abertura da novela Rookies), um grupo aidoru de grande sucesso Heavy Rotation do AKB48, e em primeiro lugar uma música de um grupo que faz mais sucesso com a parte performática e humorística no caso o Golden Bomber.

Tie-In:

São canções ligadas a novelas, filmes, animes, games e comerciais como exemplificadas no caso do ranking das músicas mais tocadas em karaokês. Representam uma forma eficaz de licenciamento e a ligação da música com o ouvinte.

Sazonalidade:

Tanto animações, novelas (também conhecidas como doramas) apresentam a divisão de temporadas pelas estações do ano, Isso acaba se refletindo em músicas que são voltadas para dias festivos, como o florescimento das flores de cerejeira, épocas de férias escolares, natal, dia dos namorados, etc.

Celebridade no Japão:

“Artistas de um modo geral são vistos como modelos a serem seguidos pela sociedade japonesa, e por isso, se esses cometem algo considerado incorreto moralmente, acabam sendo de alguma forma punidos” Mauro Neves Junior

Um exemplo está na prisão do cantor Aska, bem explicado pelo especialista em cultura japonesa Alexandre Nagado.

Diva:

Refere-se principalmente as cantoras do final dos anos 90, representadas pelo trio Namie Amuro, Ayumi Hamasaki e Utada Hikaru, onde além da música representam um estilo a ser seguido.

Aidoru(アイドル):

Explicando de forma sucinta são jovens que cantam, dançam e atuam; aparecem frequentemente na mídia e vendem uma imagem associada a jovialidade e pureza , é marcada por ser uma carreira efêmera(claro que com exceções). A maior agência atualmente é a Johnnys & Associates(agência masculina de grupos como SMAP e Arashi) e do lado feminino temos como maior expoente o AKB48.

Os próximos textos musicais terão uma melhor abordagem de alguns temas, como no caso dos “idols”, celebridaades japonesas e recomendações de álbuns.

Notas e referências:

  • O livro “Em busca do Japão contemporâneo” reúne entrevistas e ensaios sobre a cultura e sociedade japonesa, leitura interessante a qualquer interessado em entender um pouco mais sobre a sociedade japonesa. O último tema trata sobre a produção cultural na Ásia, sob o olhar do pesquisador Mauro Neves Junior, com ênfase na música popular japonesa e ao final contém uma entrevista com o autor, que fala sobre a expansão do consumo da cultura sul-coreana e os desafios da indústria cultural japonesa. “O conceito de música popular no Japão: uma perspectiva sócio-histórico-cultural” p.107
  • Mauro Neves Júnior menciona o K-Pop(música pop sul coreana) como um dos tópicos para explicar o J-Pop, não coloquei no texto em virtude da diminuição de vendas em 2014; mas como se trata de um ponto importante da cultura pop japonesa atual recomendo o texto do Otakismo sobre o tema
  • Texto do ina global sobre o mercado de karaokê
  • Japop – O poder da cultura pop japonesa, Cristiane A. Sato – p.271-313: panorama histórico da música japonesa
  • J-Pop o poder do pop nipônico outro bom texto do Alexandre Nagado sobre o tema
  • Colaboração de Marty Friedman com o grupo idol Momoiro Clover Z